Para realizarmos o Gerenciamento, implantamos e desenvolvemos um programa chamado de PROGIP, que envolve uma série de ações através de processos físicos (armadilhas de captura, barreias físicas), químicos (desinsetização, desratização, descupinização) e biológicos (armadilhas com ferômonios) acompanhados de monitoramento, inspeções e auditorias, avaliando as espécies de animais sinantrópicos (aqueles que gostam de conviver com o ser humano porém trazem doenças) considerados pragas, sendo os mais comuns: Roedores (Ratus rattus, Ratus novergicos, Mus musculus); Insetos rasteiros - Baratas (Blatela germânica e Periplaneta americana); Insetos voadores - moscas e mosquitos.
É de suma importância avaliar o ciclo reprodutivo de cada espécie, pois é através dele que escolhemos a técnica mais eficaz.

SERVIÇOS REALIZADOS:

 DESINSETIZAÇÃO

Ação direta com aplicação de inseticidas de uso domosanitário, para eliminar insetos rasteiros (baratas, formigas, aranhas etc.) e voadores (moscas, mosquitos, etc) em áreas internas e externas. Requer inspeção de ambientes para evitar possíveis contaminações e intoxicação de pessoas. Para este processo, são utilizados equipamentos e técnicas de aplicação adequadas para cada ambiente.

 DESRATIZAÇÃO

Ação direta para eliminação de roedores, utilizando de métodos físicos (armadilhas) com objetivo de prevenir a entrada de roedores em ambientes internos e métodos químicos através do uso de iscas rodenticidas.

MANEJO DE POMBOS

 Os pombos urbanos Columba Lívia não são considerados pragas urbanas e sim animais domésticos, são passíveis de captura e até mesmo o abate, segundo a

Instrução Normativa 141 de 19/12/2006. Mas realizar o manejo é a melhor opção sendo

a forma mais viável e eficaz com a utilização de técnicas especificas, pois a presença

destes indivíduos podem causar Riscos a saúde e Danos ambientais.

 
 
 

 Solicite um orçamento!

Clik aqui

VETORES E PRAGAS

Aedes aegypti: Principal vetor urbano, transmissor da dengue e da febre amarela urbana. É um mosquito domiciliado e de hábito diurno, de coloração escura com manchas brancas. Sua reprodução é exclusiva em águas limpas, de recipientes artificiais e naturais.

Culex ssp: Mais conhecido popularmente como pernilongo, causam grandes incômodos ao ser humano; podendo algumas espécies transmitir a elefantíase. Sua reprodução se dá em água suja e parada. Geralmente é de hábito noturno, podendo ocorrer também durante o dia.

Moscas: Insetos cosmopolitas que, além de causar grandes incômodos aos animais e aos homens, são responsáveis por contaminação de alimentos. A reprodução é realizada em locais que tenham excesso de material em decomposição.

Baratas: As mais conhecidas espécies sinantrópicas (convívio permitido pelo homem), é a barata de esgoto (Periplaneta americana) e a barata de cozinha (Blatella germanica), além de asco, causam contaminação e doenças respiratórias. São os insetos mais antigos e de maior adaptação encontradas na face da Terra. Se desenvolvem em locais quentes e úmidos, próximos à fontes de alimentos e água.

Roedores: São o grupo de mamíferos melhor sucedidos no planeta, com exceção do homem. As espécies sinantrópicas são a ratazana (Rattus norvegicus), rato de telhado (Rattus rattus) e o camundongo (Mus musculus), causam ao homem grandes prejuízos econômicos e várias doenças. A Organização Mundial de Saúde estima a existência de 03 roedores por habitante e que só no Brasil, o prejuízo causado é de aproximadamente 04 bilhões de dólares. As perdas ainda podem ser maiores associando aos custos da contaminação de alimentos e doenças transmitidas por esses animais.

Formigas: são insetos sociais, onde cada indivíduo exerce a sua função. As formigas picam e algumas vezes podem desencadear processos alérgicos com graves conseqüências. Durante seu deslocamento, na busca de alimentos, contaminam ambientes, ambientes, embalagens e produtos.

Aranhas e escorpiões: São aracnídeos de grande importância no equilíbrio da natureza, no que diz respeito à cadeia alimentar; onde os mesmos desempenham o papel de predadores de insetos. Algumas espécies apresentam riscos ao homem por serem peçonhentos.

Pulgas, piolhos e carrapatos: São em geral ectoparasitas, sugadores de sangue, sendo muitas vezes, trazidos para os domicílios através de animais domésticos (pulgas e carrapatos). Mesmo sendo pragas de menor importância, são potenciais transmissores de patógenos e de desconforto.

Cupim: Insetos sociais que vivem em colônias. Sua alimentação consiste basicamente de celulose encontrada em papel, madeira, plantas, revestimentos. Os cupins causam a depreciação do patrimônio, além de comprometer a estrutura de móveis e a segurança do ser humano. O controle de infestação de cupins é muito complexo. Quando um indício de foco é detectado, a situação já está comprometedora. É de extrema importância, que sejam feitas inspeções prévias, visando a identificação logo nos primeiros sinais de ataque.

Pombos e morcegos: Os pombos são bem adaptados a área urbana; suas fezes corroem superfícies de metal e causam apodrecimento de madeira. Transmitem salmonelose, além de transportar inúmeros ectoparasitas. Os pombos causam desconfortos em virtude da grande quantidade de fezes que eliminam nas janelas, sacadas e beirais. Os morcegos são pequenos mamíferos de hábito noturno. Sua alimentação em geral na área urbana é de frutos e insetos. O controle de pombos e morcegos são, em geral, na instalação de artefatos que inibem o seu pouso, procedido da vedação de frestas, calafetação de telhas e beirais, e principalmente, no caso dos pombos é a concientização da comunidade, para que não os ofereça condições favoráveis à sua proliferação (abrigo e alimento).

 

SUPPORT SANEAMENTO AMBIENTAL LTDA.
Alameda da Macaúbas Qd. 21 Lt. 03 Jardim Botânico. Goiânia-Go.
e-mail: supportsa@supportsa.com.br

 
 
UA-28307715-1